quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

RELANÇADA, FRENTE DA SEGURANÇA PÚBLICA QUER REVOGAR ESTATUTO DO DESARMAMENTO

DEPUTADOS DEFENDEM A CRIAÇÃO DE NOVA COMISSÃO ESPECIAL PARA ANALISAR PROJETO QUE FACILITA AQUISIÇÃO DE ARMAS NO PAÍS.
 
Mais de duzentos deputados de vários partidos fazem parte da Frente Parlamentar da Segurança Pública, relançada nesta quarta-feira (25) na Câmara com objetivos bem definidos. Os principais projetos defendidos pelo grupo são a redução da maioridade penal, a diminuição de benefícios a detentos e a revogação do Estatuto do Desarmamento.
 
A proposta (PL 3722/12) que facilita a aquisição de armas no País será uma das primeiras prioridades dos parlamentares. O texto foi arquivado no ano passado depois que a comissão especial criada para examiná-lo não conseguiu votar o relatório final do deputado Claudio Cajado (DEM-BA). Os deputados da frente defendem agora a criação de uma nova comissão especial para rediscutir a matéria.
 
O parecer de Cajado ao projeto do deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC) revoga o Estatuto do Desarmamento e institui o Estatuto das Armas de Fogo. Além disso, permite a compra e venda de armas, desde que o comprador tenha mais de 25 anos e não tenha passagem pela polícia.
 
As licenças para aquisição ficariam a cargo da Polícia Federal e das polícias civis dos estados. Os registros dariam direito ao uso do armamento nas residências, propriedades rurais e no local de trabalho do proprietário, que poderia pedir autorização para o porte da arma se ficar mais de cinco anos sem se envolver em ocorrência policial como autor.
 
Violência
A proposta foi criticada por entidades ligadas aos direitos humanos, que relacionam o uso de armas ao aumento de crimes violentos. Cajado não concorda com o argumento. "Se você pega o mapa da violência vê que mais de 60 mil pessoas foram assassinadas com o Estatuto do Desarmamento vigorando, sem que as pessoas de bem tenham armas", disse o deputado.
 
O presidente da ONG Viva Brasil, Benê Barbosa, apoia as propostas da Frente Parlamentar da Segurança Pública e aposta que, dessa vez, o projeto que facilita o uso de armas será aprovado pelos deputados, ao contrário do que ocorreu no ano passado.
 
"Temos um Congresso muito mais conservador do que tínhamos naquela época. Se, antes, a maioria dos deputados era favorável ao desarmamento achando que ele daria certo, hoje, principalmente os novos deputados, sabem que isso não funciona e precisa mudar", afirmou Barbosa.
 
Polêmica
A polêmica, no entanto, deve se repetir caso o projeto seja apreciado novamente. No ano passado, o deputado Ivan Valente (Psol-SP) apresentou voto em separado, contrário ao relatório de Cajado.
 
O parlamentar do Psol é contra a autorização para compra e porte de armas pela população. "Alguns acham que aqui é um Velho Oeste, que todo mundo andando com arma no coldre vai resolver o problema”, comentou. Isso, na minha opinião, contribui para o aumento da violência, das mortes e da própria insegurança."
 
Outras prioridades
Além da revogação do Estatuto do Desarmamento, o presidente da frente parlamentar, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), listou outras prioridades do grupo, como o projeto que reduz a idade penal de 18 para 16 anos e o fim de benefícios aos detentos, como o “saidão”.
 
"Tem uma questão que incomoda muito a gente, que é o auxílio-reclusão: a família do preso ganha R$ 929 e a família da vítima não recebe nada, fica desassistida", acrescentou Fraga.
 
O colegiado também defende a reforma do Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) e da Lei de Execução Penal (7.210/84) e a rejeição do projeto (PL 4471/12) que acaba com os chamados autos de resistência, ou seja, a maneira como os policiais justificam mortes ou ferimentos durante prisões ou perseguições de suspeitos.
 
O presidente da frente aposta no aumento da bancada da segurança pública na Câmara, onde 21 deputados são policiais. Cinco deles, como o próprio Fraga, foram os mais votados em suas unidades da Federação.
Fonte: Agência Câmara Notícia

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

EM GREVE GUARDAS MUNICIPAIS DE MACEIÓ REALIZAM MAIS UM PROTESTO

Com os braços cruzados desde o último dia 18 de fevereiro, os Guardas Municipais de Maceió, juntamente com os demais servidores públicos, realizaram mais um ato de protesto na manhã desta terça-feira (24).

Após se reunirem na Praça Sinimbu, situada no Centro de Maceió, e com o apoio de dois carros de som, os Guardas juntamente com centenas de servidores seguiram em caminhada até a porta de Secretaria Municipal de Administração (SEMARHP), de onde cobrou do prefeito Rui Palmeira, o reajuste salaria de 14%, a suspensão da resolução que prever cortes de gratificações e a abertura do canal de negociação para discutir a data base dos servidores.

Entre as reivindicações dos Guardas Municipais consta também a realização de concurso público para suprir a defasagem de efetivo. A regularização do porte de arma de fogo. A execução de progressões funcionais por titulação e a implantação de uma carreira única.

O presidente do SINDGUARDA-AL, Cleif Ricardo, reforçou que todos os Guardas Municipais, Inspetores e Subinspetores devem cruzar os braços e aderirem ao movimento de greve como resposta pelo abandono em que se encontra a Guarda Municipal e contra a demonstração de desrespeito da administração municipal para com os servidores. Cleif destacou também que as entidades sindicais e a massa dos servidores não tem conhecimento das medidas administrativas que estão prestes a ser adotadas pela prefeitura, salvo o corte de algumas gratificações já anunciadas, como as produtividades e o código 400, gratificação essa que vem sendo paga os servidores desde os anos 80.

O sindicalista lembrou que mais um ato de protesto será realizado no próximo dia 2 de março (segunda-feira), a partir das 9hs, na Praça Deodoro, no Centro de Maceió. Nos próximos dias as entidades sindicais manterão agenda de visitações as secretarias municipais numa tentativa de convencer os servidores que permanecem trabalhando a aderirem à greve.
GM NOTÍCIA-AL  






quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Fiquem atentos Guardas Municipais de Maceió!!!!

SINDICATO DOS GUARDAS CIVIS MUNICIPAIS
DE MACEIÓ – SINDGUARDA-AL

NOTA

O Presidente do SINDGUARDA-AL vem informar aos Guardas Municipais de Maceió, que o ato de protesto previsto para acontecer nessa sexta-feira (13), na Praça Deodoro, FOI ADIADO PARA ÀS 09h00min, DO DIA 24 DE FEVEREIRO DE 2015 (TERÇA-FEIRA). Esclarece também que a motivação do adiamento se deu em decorrência do curto prazo para que fossem adotados os procedimentos legais previstos na legislação que disciplina a realização de greve, assim sendo, e em conformidade com os prazos previstos na norma, A GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAL DE MACEIÓ SE INICIARÁ NO DIA 18 DE FEVEREIRO DE 2015 (QUARTA-FEIRA), após o carnaval. Por fim, reitera que, apenas o ato de mobilização foi adiando, ficando assim mantida a data para início da paralisação por tempo indeterminado conforme já havia sido definido.

Maceió/AL, 12 de fevereiro de 2015.


CLEIF RICARDO DOS SANTOS ALVES
Diretor Presidente

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

MAIS UM POSTO DE SAÚDE É FECHADO POR FALTA DE GUARDAS MUNICIPAIS EM MACEIÓ

A falta de segurança ocasionada pela ausência de Guardas Municipais levou o Posto de Saúde, Tereza Barbosa, situado no Eustáquio Gomes, a fechar as portas deixando a comunidade local sem atendimento.

De acordo com matéria veiculada no site TNH1, nesta terça-feira (10), servidores da saúde que trabalham no posto estariam sofrendo ameaças verbais dos próprios usuários da comunidade que revoltados com o descaso da prefeitura cobram estruturação logística e aumento de médicos de várias especialidades no centro de atendimento.

O descaso da prefeitura também tem atingido a Guarda Municipal que agoniza por investimento e aumento de efetivo a mais de 13 anos. Abandonada e sem ter como prestar um serviço de relevância à população, a corporação passou a ser alvo de críticas e comumente vem sendo taxada como inoperante pela sociedade.

Sem querer investir na Guarda a prefeitura tem optado por recorrer a Polícia Militar quando precisa e a usar recurso público para contratar vigilância privada ao custo que ultrapassa os 5 mil por homem, o que representa uma vergonha para o prefeito de Maceió.

A cobrança da categoria feita através das entidades representativas para que a Guarda Municipal preste um serviço de segurança de qualidade à população vem sendo feita há anos junto à prefeitura, no entanto, parece que o governo municipal tem optado por não contribuir na segurança pública através das ações da GM.

Hoje a principal reivindicação dos Guardas Municipais de Maceió tem sido a regularização do porte de arma de fogo, a realização de concurso público para o aumento do contingente e estruturação logística, ou seja, os nossos Guardas querem trabalhar a prefeitura é que não tem tido interesse e compromisso com a segurança da população.    
GM NOTÍCIA-AL

CONVOCAÇÃO!

ATENÇÃO GUARDAS MUNICIPAIS, INSPETORES E SUBINSPETORES DE MACEIÓ!

No próximo dia 13 de fevereiro de 2015 (sexta-feira), às 9hs, na Praça Deodoro, os Servidores Públicos Municipais de Maceió irão decidir se entrarão em greve por tempo indeterminado, ou seja, irão travar mais uma batalha em defesa das conquistas que foram adquiridas com muita luta ao longo dos anos, e aí na condição de Guarda Municipal, precisamos, mais do que nunca, da participação e do empenho de todos para podermos sair vitoriosos desse processo, e entre as bandeiras que teremos de defender, estão: a manutenção do nosso risco de vida e do plano de cargos; o fortalecimento da nossa Guarda Municipal; a regularização do nosso porte de arma; a realização de concurso público para aumento do efetivo; melhores condições de trabalho; criação de uma carreira única. Estaremos lutando pela sobrevivência e bem-estar das nossas famílias e, sobre tudo, pela eternização dos nossos empregos. Precisamos encarar mais essa batalha indo à luta e as ruas para defendermos aquilo o que já conquistamos e o que ainda temos por conquistar. Nesse contexto, é imperativo que todos os companheiros tenham a consciência de que precisam desapegar de seus afazeres e se engajarem nessa batalha, participando diuturnamente das mobilizações, convencendo aquele companheiro de trabalho que se encontra desmotivado de que é preciso e importante a sua participação nesse processo. Por fim, será indispensável que cada um de nós compareça a todos os atos de mobilização que deverão ser organizados pelas entidades representativas, só assim e com o sentimento do dever cumprido é que iremos vencer mais essa batalha.
GM NOTÍCIA-AL        

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

GUARDAS MUNICIPAIS DE MACEIÓ E DEMAIS SERVIDORES ANUNCIAM GREVE A PARTIR DE SEXTA-FEIRA (13)

Após se concentrarem na Praça Deodoro, na manhã desta segunda-feira (9), Guardas Municipais juntamente com Servidores de diversos seguimentos da prefeitura de Maceió, se reuniram em assembleia e em seguida saíram em caminhada até a Secretaria Municipal de Administração aonde se reuniram com o recém-nomeado secretário da SEMARHP, Fellipe Mamede.

Com a credibilidade rente ao chão perante os Servidores Públicos de Maceió, por ter manifestado intenção de suprimir direitos e de ter, principalmente, descumprido acordos nas instâncias administrativa e judiciária, o prefeito Rui Palmeira, representado por Fellipe Mamede, até que tentou convencer os sindicalistas de que não teria havido quebra de acordo em decorrência do não pagamento da primeira parcela dos retroativos prevista para janeiro, afirmando que na verdade teria havido apenas um atraso já que o dinheiro será pago via folha suplementar nesse mês de fevereiro.

Outro ponto polêmico que chegou a elevar os ânimos no decorrer da reunião foi o pedido de revogação da resolução editada pelo prefeito que prever, dentre outros pontos, o corte de vantagens financeiras recebidas por servidores baseadas no relatório expedido pela Fundação Getúlio Vargas que trata de uma auditoria, solicitada pela prefeitura, visando à identificação de supostos recebimentos de vantagens em desacordo com a legislação vigente.

Alguns sindicalistas questionaram o fato de a prefeitura não ter divulgado, até aquela data, para as entidades, através das secretarias, os eventuais nomes de servidores que posteriormente sofrerão cortes nos salários, esse anonimato estaria causando preocupação e terror meio aos servidores que temem ter o orçamento familiar reduzido bruscamente.    

O secretário da SEMARHP, Fellipe Mamede, chegou a assegurar que os servidores não iriam sofrer cortes até que o relatório passasse por um estudo jurídico minucioso, no entanto, descartou a possibilidade de revogação da norma por parte do governo. Ainda foi sugerida pelos sindicatos a criação de uma comissão específica para analisar e discutir ajustes na dita resolução, a proposta também não foi aceita. Sem flexibilização os sindicatos deu prazo de 72 horas para que a prefeitura revisse a decisão a fim de evitar uma greve geral.   

Com o término da reunião e sem chegar a um consenso os sindicatos se reuniram em assembleia geral, em frente à SEMARHP, e aprovaram por unanimidade paralisar as atividades no próximo dia 13 de fevereiro (sexta-feira).

Entre sindicatos e associações que participaram da reunião somaram 18 entidades representativas dos servidores municipais.
GM NOTÍCIA-AL

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

SECRETÁRIO ALFREDO GASPAR COBRA MAIOR PARTICIPAÇÃO DAS GUARDAS MUNICIPAIS NA SEGURANÇA PÚBLICA

COBRANÇA OCORREU NUMA COLETIVA AO DIVULGAR REDUÇÃO DOS NÚMEROS DE HOMICÍDIOS EM ALAGOAS

Foto de Milena Monteiro.
Mais uma vez o Secretário de Estado de Defesa Social e Ressocialização (SADRES), Alfredo Gaspar, ao conceder entrevista coletiva nessa quinta-feira (5), conforme veiculou o site Cada Minuto, cobrou maior participação dos municípios na segurança pública: a responsabilidade tem que ser dividida com os municípios também. A Guarda Municipal tem que executar o trabalho em parceria. Hoje a PM desempenha o papel da GM em vários pontos de Maceió e de cidades do interior”. Concluiu o Secretário.

Parece-nos que de forma gradativa o secretário Alfredo Gaspar vem descobrindo o quanto os prefeitos alagoanos, salvo raríssimas exceções, tem se mantido descompromissados com a segurança pública em Alagoas, a começar pela capital Maceió, aonde o mesmo chegou a publicar nota, no último dia 28 de janeiro, dizendo que os PMs não iriam participar da retirada dos camelôs do Centro dado ao fato de a Prefeitura dispor de GMs suficientes e capacitados para tal missão.

Diante dessa situação e do ponto de vista legal, estaria a PM usurpando a atividade profissional dos Guardas Municipais em Alagoas? Se essa situação ocorresse inversamente a PM permitiria tamanha ilegalidade? Será que o prefeito Rui Palmeira ainda não percebeu que já passou da hora de a prefeitura contribuir mais efetivamente na segurança dos maceioenses? Até quando o secretário da SEDRES permanecerá cobrando maior participação das Guardas no combate a violência e a criminalidade?  

Lamentavelmente na cabeça de muitos prefeitos segurança pública ainda é responsabilidade e atribuição exclusiva do governo estadual, e por se tratar de uma política não assistencialista, ou seja, por não render votos, a grande maioria dos prefeitos acaba equivocadamente tratando esse tema em segundo plano, e o resultado é esse que assistimos no cotidiano dos municípios, o aumento da violência e da criminalidade. Transforme esse tema no debate, participe postando a sua opinião.
GM NOTÍCIA-AL    


CARNAVAL DE MACEIÓ COMEÇA NESTA SEXTA; CONFIRA PROGRAMAÇÃO

Carnaval 2015 bate à porta e em Maceió, a folia começa na noite desta sexta-feira (6), com desfile de mais de 100 blocos no Jaraguá Folia, shows e festa alternativa. As prévias carnavalescas no bairro histórico de Jaraguá já são tradição na capital, mas a programação não para por aí. O final de semana segue com o desfile dos blocos Pinto da Madrugada, Turma da Rolinha, As Pecinhas de Maceió, no sábado; e Bloco Vulcão no domingo.

As prévias carnavalescas na cidade contam com o apoio da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), que oferece toda a estrutura necessária para a realização do evento, como banheiros químicos, palcos e gradis de segurança. Diversos órgãos da municipalidade também estão envolvidos na produção do evento, que conta ainda com apoio na ordenação do trânsito, fiscalização de ambulantes no espaço público, limpeza urbana, iluminação, controle de som e uso de áreas verdes, além de apoio na segurança.

Para o desfile no Jaraguá Folia são esperados 120 blocos de rua (confira aqui a lista completa). A concentração acontece a partir das 20h, na Praça Sinimbu, no Centro, de onde cerca de 20 mil foliões devem partir ao ritmo do frevo para as ruas do bairro de Jaraguá. O cortejo segue até a Praça Dois Leões, onde se apresentam no palco o cantor Igbonan Rocha, às 20h, e a Orquestra de Frevo Pão com Ovo, do maestro Everaldo Borges, às 23h.

Um segundo palco montado no Largo dos Pombos, próximo ao Mercado de Jaraguá, concentra apresentações de grupos culturais afro-brasileiros, é o Pólo Multicultural Maracatu Baque Alagoano. O local também é ponto de concentração para o Bloco Jaraguá é o Bicho.

O coordenador do Jaraguá Folia, Edberto Ticianeli, revela que a expectativa da organização é de que pelo menos 40 mil pessoas passem pela festa na noite desta sexta-feira. “O número de blocos inscritos já é o maior de todas as edições, com quase 120 cadastrados, sem contar os que aparecem espontaneamente na hora e seguem no desfile”, diz.

Festa alternativa

O Jaraguá Folia também tem espaço para o som alternativo do maior festival integrado e colaborativo do mundo, o Grito Rock, que em 2015 chega à 6ª edição. O evento é realizado em cinco continentes, mais de 300 cidades e 35 países.

Em Maceió, a programação começa às 19h, na Praça Marcílio Dias, recheada de música alternativa, intervenções e discotecagem. As atrações são as bandas Os Pereira, The Doses, Abismo, Cabaret Rock, Macaco Sound System e a convidada especial Dusouto (RN).

No sábado (7), a prévia carnavalesca de Maceió segue com o desfile do tradicional Pinto da Madrugada, cuja concentração acontece a partir das 7h, em frente ao Hotel Enseada, na Pajuçara. Este ano o bloco homenageia o bicentenário da capital e traz o tema “Pinto da Madrugada, à Sombra do Gogó da Ema, nos 200 Anos de Maceió”.

No início da tarde, a partir das 12h, são os blocos Turma da Rolinha e As Pecinhas de Maceió que iniciam os trabalhos na orla de Pajuçara. Os foliões da Turma da Rolinha se concentram na Praça Multieventos; enquanto As Pecinhas se organizam para o seu 32º desfile nas proximidades do Iate Clube Pajuçara. Ambos os desfiles se encerram às 17h.

Encerrando as prévias, o Bloco Vulcão entra na avenida no domingo (8). A concentração acontece às 10h, na Praça de Multieventos, Pajuçara.

Entre os dias 6 e 11 de fevereiro, período que caracteriza as prévias carnavalescas, outros blocos de rua fazem a festa em diversos bairros de Maceió. Jaraguá, Feitosa, Jacintinho, Tabuleiro, Jatiúca, Bebedouro, Eustáquio Gomes, Cruz das Almas, Salvador Lyra, Benedito Bentes, Farol, Ponta Grossa, Ponta da Terra, Vergel e Trapiche da Barra estão entre os bairros que tiveram blocos contemplados no edital de ajuda de custo lançado pela Fmac.

Fonte: Clarissa Veiga/Ascom FMAC

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

TJ-AL MANTÊM CARGA HORÁRIA DE 30 HORAS PARA GUARDAS MUNICIPAIS DE DELMIRO GOUVEIA

GM de Delmiro Gouveia.
Através de uma ação judicial impetrada pelo advogado Raul Santos, o qual contou com o apoio e empenho dos delegados sindicais do SINDGUARDA-AL em Delmiro, GMs Dalmo Ribeiro, Diogo Ribeiro e Rafael dos santos, por unanimidade dos votos, a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), concedeu ganho de causa aos Guardas Municipais de Delmiro Gouveia, Gilvan Ferreira da Silva e Juliana Pereira da silva, que passarão a cumprir carga horária de trabalho de 30hs ao invés de 40hs semanais como vinha defendendo a prefeitura. Os GMs também serão ressarcidos, com os valores devidamente corrigidos, pelo período no qual foram obrigados a prestar serviço sob a carga horária de 40hs.  

A prefeitura defendeu na ação que não existia direito líquido e certo que obrigasse os Guardas Municipais a permanecerem trabalhando sob a carga horária de 30hs semanais, originalmente previstas no edital do concurso público, e que os servidores teriam que se adequar a nova carga horária de 40hs já que essa seria conveniente aos interesses da administração municipal.

Ao tomar conhecimento do ganho de causa, o Delegado Sindical, Dalmo Ribeiro, destacou: “Esta é uma vitória dos nossos irmãos e guerreiros de Delmiro Gouveia, e esse feito só foi possível devido ao empenho e trabalho em conjunto de todos os companheiros, nós Delegados regionais de Delmiro Gouveia ficamos com o sentimento do dever cumprido, a final foram cinco anos de dedicação ao processo das 40 horas”. Desabafou o sindicalista.

Em 2010, com o processo ainda tramitando em 1ª Grau, o SINDGUARDA-AL chegou a impetrar mandado de segurança junto à 3ª Vara da Comarca de Delmiro Gouveia contra a decisão da prefeitura de alterar a carga horária de trabalho dos Guardas Municipais de 30 para 40 horas semanais, sustentando que o ato teria violado o direito líquido e certo de seus representados, afirmando ser inaplicável qualquer modificação legislativa posterior à realização do concurso público.

Tal decisão será estendida aos demais Guardas Municipais de Delmiro Gouveia que igualmente aos GM Gilvan Ferreira, foram obrigados a se submeter a uma carga horária de trabalho semanal para a qual não teriam feito concurso público. Finalmente a justiça foi feita. Parabéns a essa turma de Delmiro! Continuem firmes e fortes lutando pelos direitos de vocês.
GM NOTÍCIA-AL

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

PRESIDENTE WASHINGTON LUIZ REÚNE-SE COM PREFEITO DE MACEIÓ


Rui Palmeira entregou relatório de auditoria realizada na folha de pagamento do Município; parcerias entre Judiciário e Prefeitura também foram discutidas

O desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas, presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), recebeu, nesta quinta-feira (28), do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, o relatório de uma auditoria realizada na folha de pagamento dos servidores municipais ativos e inativos do Município.

“A auditoria constatou que algumas irregularidades existiam. O prefeito afirmou que elas serão corrigidas. Rui Palmeira quis dar ciência ao Poder Judiciário acerca dessa medida importante que vai aplicar em face da auditoria no âmbito da folha de pagamento do município de Maceió”, disse o desembargador Washington Luiz.

“Nós realizamos uma auditória feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e fizemos questão de trazer as mãos do presidente do Tribunal de Justiça, já que é algo extremamente importante para o município de Maceió e que futuramente pode ser judicializada”, afirmou o prefeito Rui.

Na ocasião, o presidente do TJ/AL reforçou a necessidade da parceria entre o Poder Judiciário e o Município para agilizar o andamento dos processos da 15ª Vara Cível da Capital – Fazenda Municipal. “A atuação da 15ª Vara Cível é de real importância na repercussão da receita do Município de Maceió. Estamos prestes a renovar o convênio que sede servidores municipais para trabalharem nesta unidade jurisdicional”, explicou o presidente Washington Luiz.

O prefeito Rui Palmeira também destacou a relevância da parceria para o Município de Maceió. “Processos relativos a IPTU atrasado ou outro tipo de tributo atrasado deságuam na Vara de Execuções Fiscais da Capital. Então é importante que a Vara funcione bem para que o Município possa, judicialmente, conseguir esses créditos que não conseguiu de maneira administrativa”, relatou.
Fonte: Robertta Farias - Dicom TJ/AL

CAMPANHA SALARIAL 2015!


PREFEITURA DE MACEIÓ NÃO PAGA RETROATIVO E QUEBRA MAIS UM ACORDO COM OS SERVIDORES

Foto da audiência da prefeitura com os Sindicatos ocorrida e 2014.
O prefeito de Maceió, Rui Palmeira, mais uma vez, demonstrou para os sindicatos que representam o funcionalismo municipal, para a justiça alagoana e para os servidores de um modo geral, que a regra continua sendo a mesma: “manda quem pode e obedece quem tem juízo!”.
 
Obedecendo a risca o que determina esse jargão muito usado por regimes ditatoriais, diga-se de passagem, o prefeito deixou de cumprir o último acordo que havia firmado com os servidores numa audiência realizada em 2014, no Tribunal de Justiça, na qual teria se comprometido a implantar progressões por mérito e começar a pagar o retroativo dessas progressões na folha desse mês de janeiro, o que não aconteceu.
 
Na bronca os sindicatos já começaram a mobilizar os servidores para uma assembleia geral prevista para acontecer no dia 9 de fevereiro de 2015 (segunda-feira), às 09h00min, na Praça Deodoro, enfrente ao Tribunal de Justiça e a Câmara de Vereadores.
 
Na pauta, como não poderia deixar de constar, está à quebra de mais um acordo por parte do prefeito, a ameaça de corte nos salários após resultado de auditoria e o reajuste salarial de 2015.
GM NOTÍCIA-AL