quinta-feira, 29 de setembro de 2016

AFASTAMENTO DO PREFEITO DE MARECHAL DEODORO DEIXARÁ GUARDAS MUNICIPAIS SEM RECEBER SALÁRIOS

Os Guardas Municipais de Marechal Deodoro não receberão seus salários nessa sexta-feira (30/09). Já se passaram dez dias do afastamento do prefeito Cristiano Matheus (PMDB) e o município continua sem gestor.

A vice-prefeita, Iolanda Alcântara (PMDB), que deveria ter assumido a prefeitura, acabou sendo internada em um hospital particular onde se encontra tratando de um quadro depressivo progressivo e crise de ansiedade em decorrência do falecimento de sua mãe.

A Procuradoria Geral do Município publicou nota nesta quinta-feira esclarecendo que não será possível pagar os salários dos servidores até o último dia útil desse mês.

A nota ressalta haver saldo suficiente em conta para prefeitura honrar o compromisso com os servidores, no entanto, diz que não será possível realizar o pagamento em decorrência da ausência de gestor para autorizá-lo.

Em contato com o GM NOTÍCIA-AL alguns Guardas Municipais externaram indignação e disseram haver possibilidade de os Servidores realizarem um protesto nessa sexta-feira em Marechal.
GM NOTÍCIA-AL  

CONFIRA NA ÍNTEGRA A NOTA DIVULGADA PELA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

Nota de esclarecimento

 “A Procuradoria Geral do Município (PGM), como representante judicial e extrajudicial da Prefeitura de Marechal Deodoro, e com os Poderes que são conferidos pela Lei Orgânica do Município, em seu Art. 49, esclarece aos servidores públicos efetivos, comissionados, contratados e aos que se encontram em benefícios, que, em decorrência do afastamento do prefeito Cristiano Matheus, bem como, em virtude da vice-prefeita da cidade, Iolanda Alcântara, não assumir o cargo de prefeita, não será possível o pagamento dos salários dos servidores até o último dia útil de setembro de 2016. Apesar da existência de saldo suficiente para honrar o compromisso, e considerando a exigência legal da autorização do Chefe do Executivo para movimentação bancária, lamentavelmente, o pagamento não poderá ser realizado por conta da vacância do cargo de prefeito”.

Marechal Deodoro, 29 de Setembro de 2016.

Procuradoria Geral do Município. 

PASSADA AS ELEIÇÕES PREFEITOS DEVEM RETOMAR O DISCURSO ESFARRAPADO DE QUE NÃO HÁ DINHEIRO

Na ânsia de permanecer por mais quatro anos torrando o dinheiro público, muitos prefeitos se empolgaram e acabaram esquecendo-se que meses atrás suas prefeituras se encontravam mergulhadas numa crise sem precedentes, não havia dinheiro, por exemplo, para pagar reposição salarial, executar progressões funcionais e nem tão pouco para quitar retroativos ou regularizar porte de arma.

Choradeiras a parte, nos meses que antecedeu as eleições a máquina administrativa de muitas prefeituras trabalhou a todo vapor. Milhões foram escoados para o mercado publicitário, outros milhões para o setor gráfico. Fornecedores de combustíveis continuam sorridentes com o aquecimento nas vendas, e os poucos investimentos que foram direcionados a população visaram angariar votos e servir como outdoor eleitoral.

A partir de janeiro de 2017, o cenário financeiro das prefeituras não será diferente dos demais anos pós-eleições. O dinheiro público entrará em processo de hibernação por pelo menos seis meses. Não haverá dinheiro para absolutamente nada. O velho discurso da crise financeira voltará com força e servirá como manto para acobertar a quitação de dividas contraída durante a campanha eleitoral. Aprovar projetos de interesse dos Servidores nesse período, nem por sonho. Sempre foi assim.

Os primeiros seis meses pós-eleições também representa um período difícil para alguns sindicalistas. Muitos prefeitos buscam fechar apoio político com os sindicatos como estratégia para não serem importunados durante os seis meses de hibernação financeira. Aos sindicalistas que se envolvem nesse processo resta a missão de contornar a pressão de suas bases, esticando o máximo possível à negociação salarial, defendendo o parcelamento de reajustes e o pagamento de retroativos devido aos servidores.

Como sempre aconteceu em períodos pós-eleições, os Servidores Municipais também deverão cumprir suas penitências. Paralisarão as atividades e com certeza irão às ruas expressarem indignação frente à declaração dos prefeitos de que não há dinheiro por conta da crise e da redução do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Quem viverá até lá com certeza testemunhará mais uma vez a conclusão desse ciclo.
GM NOTÍCIA-AL

VIGIA DE ESCOLA NO VERGEL É ASSASSINADO A TIROS APÓS REAGIR A ASSALTO

CRIMINOSOS ROUBARAM O CELULAR DA VÍTIMA E FUGIRAM COM DESTINO IGNORADO

Um vigia da Escola Estadual Júlio Auto, situada no conjunto Joaquim Leão, no Vergel do Lago, foi assassinado ao reagir a um assalto cometido na noite dessa quarta-feira (28). Na fuga, os criminosos levaram o celular da vítima e tomaram destino ignorado. 

Segundo informações de militares do 1º Batalhão, dois homens em uma motocicleta de cor, modelo e placa não identificados chegaram ao local, aproximaram-se do vigia e anunciaram o assalto. 

José Ferreira da Silva Filho, conhecido como Ferreirinha, de 52 anos, reagiu à ação ao negar a entrega do aparelho, sendo atingido pelos disparos de arma de fogo. A vítima não resistiu aos tiros e morreu na hora. 

Após a ação, os autores pegaram o celular e empreenderam fuga com destino desconhecido. Já o corpo foi periciado pelo Instituto de Criminalística (IC) e recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) ao exame de necropsia. Além de militares do 1º Batalhão, foram acionados ao local agentes da Delegacia de Homicídios da Capital, para colher os primeiros depoimentos. A cena chamou a atenção de vários moradores do conjunto. 

"Quando chegamos à região, o vigia estava morto. Provavelmente, foi alvo de assalto porque ele estava com o celular, mas, depois do crime, o aparelho não foi localizado. O Serviço de Inteligência da PM está investigando possíveis suspeitos", disse um militar, acrescentando que as aulas na escola foram suspensas devido ao crime.
Fonte: Gazetaweb

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

GUARDAS MUNICIPAIS DE MACEIÓ DEBATEM PLANO DE CARGOS COM CARREIRA ÚNICA

Reunidos em assembleia geral no auditório da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Cidadania (SEMSC), na tarde da última terça-feira (27/09), um contingente expressivo de Guardas Municipais tiveram a oportunidade de conhecer e discutir a minuta de projeto de lei que prever a criação do plano de cargos com carreira única da categoria. O projeto foi elaborado por uma Comissão Mista que envolveu representantes do Sindicato e das Associações da categoria, na qual participaram Inspetores, Subinspetores e Guardas Municipais.

Após a apresentação do projeto iniciaram-se as discussões sobre alguns artigos que nada agradou aos Guardas Municipais. Um deles previa, por exemplo, o enquadramento dos Inspetores no último padrão da tabela salarial, texto que se aprovado hoje mais que dobraria os salários dos Inspetores. A proposta não foi aceita pelos presentes que propuseram nova forma de enquadramento na tabela salarial.

A proposta de enquadramento dos Subinspetores na última classe da tabela também desagradou. O texto proposto, se aprovado, provocaria também um aumento expressivo nos salários desse seguimento. Os GMs pediram a comissão direito de igualdade no projeto quanto à forma de progressão, e exigiram respeito quanto ao posicionamento individual nas Classes e nos Padrões da tabela.

Outro artigo que trata sobre o risco de vida também recebeu proposta de modificação. A forma do texto como constava no projeto deixaria margem para eventuais contestações quanto ao recebimento ou não da gratificação, tanto em casos de afastamento temporário quanto para a aposentadoria. Foi lembrado, na ocasião, que o risco de vida recebido é inerente ao cargo e não a função exercida, conforme consta hoje na Lei nº 5.421/2004 (Estatuto dos Guardas Municipais de Maceió). Também foi proposto que se incluísse no texto da lei o percentual do risco de vida. As propostas de modificação também foram registradas e deverão ser apreciadas pela Comissão Mista.

O ponto que estabelece critérios para promoção no período de transição da lei também recebeu proposta de mudança. Foi sugerido substituir as promoções e progressões no período de transição por um curso de formação interno de caráter eliminatório. Também se propôs suprimir a exigência do diploma de graduação para ocupação da função de Inspetor. Propostas que também serão apreciadas pela Comissão.

Essas e outras propostas de alteração ao texto da minuta de projeto, feitas pelos GMs na última assembleia, com certeza ainda serão objeto de muita discussão no âmbito da Comissão Mista. Não esquecendo, é claro, que ainda há um longo e penoso caminho a percorrer no campo da administração municipal, poder que pode passar a ser gerido por um novo grupo político a partir de 2017, por tanto, o resultado das eleições de 2 de outubro será fundamental para acenar se esse plano de cargos irá ou não sair do papel.

Tão logo a Comissão Mista analise as propostas de mudanças no texto do projeto, a convocação de uma nova assembleia geral deverá acontecer.  
GM NOTÍCIA-AL 

Quando desviam dinheiro público das prefeituras também desviam a possibilidade de crescimento das Guardas Municipais

GUARDAS MUNICIPAIS DE PILAR DENUNCIAM PREFEITURA POR REPASSE IRREGULAR DE DINHEIRO

Gravações telefônicas obtidas pelo site Cada Minuto mostram um esquema irregular de arrecadação de dinheiro no município de Pilar, nesse período eleitoral.

Através de dinheiro depositado nas contas de Guardas Municipais, a administração da prefeitura recolhia novamente o valor alegando sendo que essa "verba" era para aquisição da farda.

Os Guardas eram abordados por pessoas que trabalham diretamente no serviço público para devolver o dinheiro em espécie. O esquema foi denunciado por um grupo de Guardas Municipais, que não concordaram com o esquema montado pela administração do atual prefeito Carlos Alberto Canuto.

"Eles depositaram esse dinheiro na conta de muita gente e depois foram pegar. Eles disseram que era para comprar a farda, mas nunca recebemos nada e o dinheiro ficou com eles", disse um dos denunciantes.

Nas contas dos funcionários os depósitos ocorreram diversas vezes. Em uma das gravações, um dos guarda afirma que recebi dois depósitos de R$ 450,00, no entanto outras pessoas chegaram a receber até R$ 800,00.  
                      
Outra mulher, que também trabalha como Guarda Municipal, afirmou na gravação que recebeu o dinheiro, mas queria participar mais do esquema porque sabia que era errado.

“Veio buscar na minha casa aí eu disse, eu não tirei o dinheiro. Aí ele veio buscar na minha casa e disse, “Mas é uma coisa que é segura, não tenha medo não!” Eu disse não! Nada que é de enrolada é seguro. Ele, “Você tá me chamando de...”. Eu disse, tô! Aí depois eu descobri chamei a pessoa. Eu disse não é fardamento, não é? Aí, “Não é porque...” Eu disse eu não quero mais na minha conta não” (sic)
Fonte: Cada Minuto

PREFEITURA DE PILAR NEGA DENÚNCIA DE REPASSE IRREGULAR PARA GUARDAS MUNICIPAIS
  
A Prefeitura Municipal de Pilar enviou para o Cada Minuto uma nota desmentindo as informações contidas na matéria “Guardas municipais de Pilar denunciam prefeitura por repasse irregular de dinheiro”, divulgada na manhã de ontem, 27.

Confira a resposta na íntegra:

A Prefeitura Municipal de Pilar repudia as informações veiculadas neste site através da matéria intitulada "Guardas municipais de Pilar denunciam prefeitura por repasse irregular de dinheiro". A Prefeitura nunca cobrou devolução de dinheiro por parte de nenhum de seus servidores a título de ressarcimento de qualquer natureza.

Sobre as gravações, em momento nenhum os denunciantes são identificados, não podendo assim ser confirmado que se trata de um dos Guardas Municipais da cidade. Vale destacar que essa mesma gravação foi veiculada em uma postagem no Facebook, em uma página claramente tendenciosa ao candidato do PSDB que, no início dessa semana, foi alvo de uma ação judicial por suposta compra de votos, denúncia essa baseada em um vídeo onde cabos eleitorais distribuem dinheiro antes de uma caminhada.

Fica claro que se trata apenas de uma artimanha de pessoas que se mostram desesperadas às vésperas de um processo eleitoral, forjando provas e buscando criar um factoide.
Fonte: Cada Minuto

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

CANDIDATO RUI PALMEIRA DEIXA DE ABORDAR, MAIS UMA VEZ, TEMA SEGURANÇA PÚBLICA MUNICIPAL EM ENTREVISTA

Numa nova entrevista concedida ao apresentador Oscar de Melo, do programa Cidade Alerta, da TV Pajuçara, na noite dessa segunda-feira (26/09), o tema segurança pública municipal deixou novamente de ser abordado pelo candidato a prefeitura de Maceió, Rui Palmeira.


Apesar dos maceioenses estarem vivenciando um clima de constante medo devido à onda de violência predominante em Maceió, capital que recentemente foi destaque mais uma vez no cenário nacional por liderar o ranking em homicídios, alguns candidatos a prefeito tem tentado fugir dessa realidade evitando tratar sobre essa temática – segurança pública municipal - em debates e entrevistas.

O candidato Rui Palmeira (PSDB) por diversas vezes já saiu pela tangente ao ser indagado sobre a contribuição que a prefeitura de Maceió pode dar para a segurança dos maceioenses. Quando não é possível evitar o assunto o candidato associa à contribuição da prefeitura a segurança tão somente à ampliação da rede de iluminação pública em bairros periféricos, reformas de praças e pequenas ações de cunho social em algumas comunidades, deixando de fazer menção à atuação dos Guardas Municipais.

É sabido que a Guarda Municipal de Maceió não conseguiu avançar suficientemente durante a gestão do candidato Rui Palmeira ao ponto de melhorar a qualidade da sua prestação de serviços à população. Não foi realizado concurso público, não houve a regularização do porte de arma, e não se implantou um centro de aprimoramento, no entanto, nada impediria o candidato de propor mudanças transformadoras efetivas para a Guarda Municipal nesse seu segundo mandato, caso venha a se reeleger.
GM NOTÍCIA-AL